domingo, 6 de agosto de 2017

Nova Pádua realiza Campanha de Reflorestamento

Entre o dia 7 de agosto e 8 de setembro, a Secretaria do Meio Ambiente de Nova Pádua realiza a Campanha de Reflorestamento. As mudas oferecidas terão um preço abaixo do preço de mercado, tendo em vista que os pedidos serão realizados em conjunto, o que exclui a necessidade de pagamento do frete do viveirista até o município de Nova Pádua. Em 2016, pela Campanha de Reflorestamento, foram entregues mais de mil mudas nativas, dentre elas Camboim, Pitangueira, Araçá, Ipês, etc.

Este ano, haverá uma oferta maior de variedades. A maior parcela do público que solicita mudas nativas é devido à Reposições Florestais Obrigatórias, isto é, “a compensação do volume de matéria-prima extraído de vegetação natural pelo volume de matéria-prima resultante de plantio florestal para geração de estoque ou recuperação de cobertura florestal”, IBAMA, 2016.

Fonte: Ass.Imprensa Prefeitura Municipal
Foto: Maicon Pan/Divulgação




Parceria disponibiliza área para plantio de mudas nativas, em Bento Gonçalves

O 6º Batalhão de Comunicações (BCOM), em parceira com a Secretaria de Meio Ambiente (SMMAM), de Bento Gonçalves, com o intuito de arborizar sua área, está concedendo espaço para os munícipes que não possuem alternativa para compensação do plantio de mudas nativas. Atualmente, quando há necessidade do corte de árvores nativas em propriedade privada, é responsabilidade do proprietário encaminhar uma solicitação ao setor de licenciamento ambiental da SMMAM, com os documentos que localizam a área e a espécie, juntamente com a justificativa do corte.

Por meio dessa parceria, depois de realizar esse processo, as pessoas que não possuírem espaço para compensar as árvores nativas, poderão utilizar o espaço cedido pelo 6º BCOM.  De acordo com a secretária Adjunta da Secretaria de Meio Ambiente, Bárbara Zanatta, “a pasta cederá um termo, em que o interessado se responsabilize pelas mudas nativas, além da manutenção das mesmas, durante o tempo necessário. Por ser um espaço com área limitada, há restrições na quantidade”, afirma.

Caso seja feito o corte de uma ou mais árvores, o responsável pelo terreno precisa fazer uma compensação ambiental a partir do plantio de pelo menos 15 mudas de plantas nativas a cada árvore. Quando há muitas para o corte, a avaliação necessita de um cálculo técnico, sendo que as exóticas não geram compensação na retirada.

Fonte: Ass.Imprensa Prefeitura Municipal


segunda-feira, 31 de julho de 2017

Lançamento de semana estadual conscientiza sobre importância da água

A 24ª Semana Interamericana e a 17ª Semana Estadual da Água foram lançadas nesta segunda-feira (31), na sede da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), em Porto Alegre. Com reconhecimento internacional, o evento estadual (celebrado entre 30 de setembro e 7 de outubro) é considerado uma das maiores mobilizações em defesa da água no Brasil. 
Nesta edição, o tema discutirá sobre a Segurança da Água, especialmente nos cuidados de armazenamento que garantam a potabilidade para o consumo humano. O encontro possibilita um período de reflexão e avaliação que destaca a importância da água no desenvolvimento econômico e social, contribuindo à cooperação humana e à sustentabilidade do planeta. Durante o evento, atividades técnicas, culturais, artísticas e sociais ocorrerão em todo o Estado.
 O evento é promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental Seção Rio Grande do Sul (Abes-RS). 

Fonte: Ass.Palácio Piratini






quinta-feira, 20 de julho de 2017

Bento Gonçalves é pioneira no projeto de logística reversa de lâmpadas contendo mercúrio

As lâmpadas fluorescentes surgiram como uma alternativa economicamente viável em substituição as incandescentes. No entanto, da solução de um problema econômico, tornou-se um problema para o meio ambiente, pois os seus componentes internos apresentam uma pequena quantidade de mercúrio, um metal pesado e muito volátil.

Por estes motivos, surge a preocupação dos órgãos ambientais e de saúde pública, para que haja a correta destinação, evitando que as lâmpadas sejam fontes de contaminação. Bento Gonçalves é pioneira, dentre os municípios integrantes do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável da Serra Gaúcha (CISGA), no projeto de logística reversa, que consiste na devolução de lâmpadas queimadas aos estabelecimentos comerciais.

O município, juntamente com o CISGA, está elaborando um plano de trabalho que num primeiro momento irá elaborar o diagnóstico sobre a realidade do descarte das lâmpadas junto ao comércio local e a viabilidade de implantação do plano na região. Tal prática já está sendo feita de forma independente por alguns empreendimentos comerciais.

Os processos de descontaminação e reciclagem das lâmpadas fluorescentes variam de acordo com o modelo do produto. Basicamente, separam-se os terminais (componentes de alumínio, soquetes plásticos, e estruturas metálicas/eletrônicas), o vidro (em forma de tubo, cilindro ou outro formato), o pó fosfórico (pó branco contido no interior da lâmpada) e, principalmente, o mercúrio, que é extraído e recuperado em seu estado líquido elementar. Todos os processos ocorrem por meio de equipamentos instalados sob circunstâncias especiais e em ambiente controlado, para que não haja fuga de vapores, e a contaminação do ambiente e das pessoas que operam os equipamentos.


Fonte: As.Imprensa Prefeitura Bento Gonçalves
Foto: Divulgação


Saiba os perigos de reutilizar sua garrafinha plástica de água

Garrafas de plástico são um grande problema ambiental. Elas são feitas do petróleo, que é uma fonte não renovável, requerem energia para sua produção e distribuição, e acabam contaminando o meio ambiente devido ao fato de grande parte delas não ser direcionada à reciclagem. Ou seja, o destino final acaba sendo lixões, aterros e mares, com péssimas consequências ambientais.
Essas garrafas de plástico não são próprias para serem reutilizadas, tanto é que até mesmo seus fabricantes recomendam seu descarte após o uso. Um dos principais problemas da reutilização dessas garrafas é a contaminação bacteriana. Afinal, as garrafas são um ambiente úmido, fechado e com grande contato com a boca e com as mãos, ou seja, um local perfeito para as bactérias se procriarem. 
Um estudo realizado a partir de 75 amostras de água das garrafas que alunos do ensino básico utilizaram durante meses, sem jamais as lavarem, descobriu que cerca de dois terços das amostras apresentavam níveis bacterianos acima dos padrões recomendados. A quantidade de coliformes fecais (bactérias provenientes das fezes dos mamíferos) foram identificadas acima do limite recomendado em dez amostras das 75 estudadas. 
Fonte: e-cycle
Foto: Divulgação

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Semma lança concurso cultural Calendário Ecológico e Dedo Verde 2018

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Caxias do Sul lançará na próxima segunda-feira (10), os regulamentos dos concursos culturais Calendário Ecológico 2018 e Dedo Verde. As atividades serão coordenadas pela Gerência de Educação Ambiental e têm como objetivo conscientizar crianças e adolescentes sobre a importância da preservação da natureza. As inscrições serão abertas no dia 1º de agosto.

O Calendário Ecológico 2018 tem como alvo os estudantes do Ensino Fundamental das redes pública e privada de ensino. O concurso premiará os 15 melhores desenhos relacionados ao tema “Bem-estar Animal – Você também é responsável”. Todos os trabalhos passarão pela avaliação de uma comissão julgadora formada por servidores da Semma e da Secretaria Municipal da Educação (Smed). As inscrições podem ser feitas até o dia 15 de setembro e a premiação acontecerá em outubro.

Já o concurso Dedo Verde é voltado para as crianças da Educação Infantil e terá o mesmo tema do Calendário Ecológico. As inscrições irão até o dia 25 de setembro e a votação para a escolha dos três melhores desenhos será aberta e online. A premiação também ocorrerá em outubro.


O regulamento dos concursos estará disponível a partir de segunda-feira (10/07) na página da Semma, dentro do site da prefeitura: www.caxias.rs.gov.br.

Fonte: Prefeitura Municipal
Foto: Divulgação

terça-feira, 4 de julho de 2017

Fotografias do Clic Ambiental ficarão expostas no Shopping San Pelegrino

As fotografias vencedoras do XI Concurso Clic Ambiental de Caxias do Sul farão parte de uma exposição no Shopping San Pelegrino. As imagens, relacionadas ao turismo regional e à importância da preservação da natureza, estarão expostas entre os dias 3 e 31 de julho, no segundo andar. 

A exposição é resultado de uma parceria da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) com o Shopping San Pelegrino e tem como objetivo divulgar o concurso Clic Ambiental.

Foto: Marta Helena Kaiser/Divulgação

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Nova Pádua comemora Meio Ambiente em dois meses

Em comemoração ao 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente, a Prefeitura Municipal de Nova Pádua preparou uma programação especial para os meses de junho e julho para a comunidade Paduense. Na terça-feira (6), foi feita a divulgação da Campanha de Coleta de Embalagens Vazias de Agrotóxicos 2017 e o lançamento do Concurso Calendário Ecológico 2018 aos estudantes da Escola Luiz Gelain.

A Campanha de Coleta de Embalagens de Agrotóxicos será realizada no dia 30 de junho, última sexta-feira deste mês, em toda a cidade e, este ano, antes da Campanha será entregue uma “colinha” para cada família de agricultores que entregarão as embalagens. Essa colinha tem como objetivo facilitar as anotações das embalagens limpas e separadas e divulgar os horários de coleta em cada comunidade, facilitando no quesito organização tanto para o agricultor quanto para quem receberá as embalagens.

Já a segunda atividade proposta, a elaboração do Calendário Ecológico 2018, foi apresentada aos estudantes do 6º, 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio da Escola Estadual de Ensino Médio Luiz Gelain. Os anos (séries) foram separados em 3 Categorias: Categoria I e II para o Ensino Fundamental e Categoria III para o Ensino Médio.

O Ensino Fundamental irá se encarregar de desenhar resíduos sólidos de maneira criativa para exercer a função educativa ambiental quanto a reciclagem nos calendários, já o Ensino Médio irá fotografar paisagens naturais e outros valores patrimoniais imateriais (cultura, história, etc.) de Nova Pádua para expor no Calendário Ecológico 2018.

Após o encerramento das inscrições, que seguem até a data de 29 de setembro, serão expostos na Prefeitura Municipal de Nova Pádua os desenhos e fotografias para votação. Os trabalhos mais votados farão parte do Calendário Ecológico 2018 e os ganhadores serão premiados.

Fonte: Prefeitura Municipal
Foto: Genaize Gonçalves/Divulgação



Semana do Meio Ambiente de Caxias envolveu mais de 1,5 mil pessoas

A Semana do Meio Ambiente 2017 em Caxias do Sul propôs uma discussão sobre o Turismo Sustentável e encerrou, nesta quarta-feira (07/06), envolvendo mais de 1,5 mil pessoas. Nesta edição, a proposta de descentralizar o evento levou a comunidade a participar de ações no Centro de Cultura Ordovás, Jardim Botânico, Praça Dante Alighieri e Centro Administrativo Municipal. Foram oferecidas, de forma gratuita, palestras sobre Turismo Rural e Sustentável, diversas oficinas, plantio de mudas, sessões de cinema e peças de teatro. 
   
Outro ponto positivo foi a queda na produção de resíduos durante as atividades. “Nossa produção de lixo foi zero ao longo da semana. Não distribuímos material impresso e os copos de água, distribuídos durante as nossas ações, foram recolhidos para serem reaproveitados para o plantio de mudas no Horto Municipal. Tivemos a preocupação com o meio ambiente desde os preparativos até a conclusão da semana”, destaca a secretária do Meio Ambiente, Patrícia Rasia.

Após o término da Semana do Meio Ambiente, o setor de Educação Ambiental seguirá desenvolvendo ações ao longo do ano com foco na preservação da natureza e atitudes sustentáveis.

Fonte: Prefeitura Municipal
Foto: Fábio Campelo/Ass.Prefeitura



segunda-feira, 5 de junho de 2017

Bento Gonçalves celebra Semana do Meio Ambiente até o dia 10

A prefeitura de Bento Gonçalves celebrou na manhã desta segunda-feira, 5, o início da Semana do Meio Ambiente, que tem como tema “Sustentabilidade: Plante essa idéia”, no Salão Nobre da Prefeitura. No período de 5 a 10 de junho, a comunidade está convidada a refletir intensamente sobre seu papel na sociedade, repensar suas atitudes e agir de forma a impactar positivamente o ambiente em que vivem.

A programação incluirá sessões de cinema, trilha, sensibilização ambiental, além do espetáculo teatral “Missão Água”, do Grupo Depósito de Teatro (POA), que atenderá mais de 1.000 alunos do ensino fundamental.

Os principais objetivos das comemorações é mostrar o lado humano das questões ambientais; promover a compreensão de que é fundamental que comunidades e indivíduos mudem suas atitudes em relação ao uso dos recursos e das questões ambientais; e advogar parcerias para garantir que todas as nações e povos desfrutem um futuro mais seguro e mais próspero.
  
A solenidade contou ainda com apresentações do Projeto Coração Cidadão, que enalteceram o tema, e o plantio simbólico do papel “plantável”, ou seja, no meio de suas fibras estão sementes de plantas aromáticas e fitoterápicas.

Além disso, a SMMAM, por meio de campanha organizada pelo Grupo Escoteiro Videira e Ciretama, realizou a entrega de tampinhas plásticas de polipropileno e de lacres de alumínio às representantes do Projeto Ações para o Bem. A atividade consiste na arrecadação permanente dos materiais, que são separados e vendidos para uma empresa de reciclagem, e o valor obtido é revertido na ajuda de animais abandonados, com castrações e tratamentos de saúde.

Fonte: Prefeitura de Bento Gonçalves

Foto: Divulgação



Farroupilha promove Semana do Meio Ambiente

A Secretaria de Meio Ambiente de Farroupilha promove de 6 a 10 de junho a Semana do Meio Ambiente. A programação inclui palestras, intervenção Recicleide, lançamento de E-Book e campanha de recolhimento de lixo eletrônico. Conforme o Secretário Municipal, Rudimar da Silva,  o objetivo da Semana do Meio Ambiente é conscientizar a população sobre a importância da preservação do meio ambiante.

Dentro da programação está prevista para o sábado dia 10, a segunda etapa da Campanha de Recolhimento de Lixo Eletrônico. O recolhimento acontece na Praça da Emancipação (em frente à Prefeitura), das 9h às 15h. Entre os materiais aceitos estão: calculadoras, brinquedos eletrônicos, videogames, celulares, carregadores, equipamentos de informática, vídeo cassete e DVD, televisores e monitores, geladeira, freezer, fogão, lavadora, ar condicionado e outros. Vale lembrar que o recolhimento é destinado apenas para pessoas físicas.
Fonte: Prefeitura de Farroupilha
Foto: Divulgação

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Saiba como embalar lixo doméstico

Os resíduos sólidos domésticos são um problema no mundo inteiro. Diante desse cenário, uma das ações possíveis é sempre reduzirmos o consumo. Cada tipo de resíduo tem um destino e um tratamento diferentes. E não basta separar, é preciso embalar o lixo de forma correta.
Alimentos e vegetais
Antes de pensar em descartar os resíduos alimentares e vegetais (podas, entre outros), devemos pensar em não consumir (comprar) nada daquilo que não será necessário. Mas se mesmo assim houver sobras, como cascas de banana, podemos pensar em formas de reutilização por meio do consumo ou da compostagem.
Evite geração de resíduo por meio do consumo ou compostagem
A maioria dos restos alimentares e de podas são compostáveis e essa alternativa evita a emissão de metano (CH4) e ainda permite a reutilização do que era resíduo na forma de húmus.
E a compostagem não é só para quem tem espaços de terra disponíveis... Quem mora em apartamento também pode fazer.

Se, no caso dos vegetais e restos alimentares, nenhuma das duas alternativas forem viáveis para você, também existe a possibilidade de embalar os resíduos alimentares e vegetais em geral em sacolas biodegradáveis.
Fonte: www.e-cycle.com.br
Foto: Divulgação

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Caxias sedia evento de Meio Ambiente dia 22 de maio

Promover a responsabilidade socioambiental e mudanças comportamentais nas ações dos municípios são os principais objetivos da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P). Na próxima segunda-feira (22/05), Caxias do Sul sediará o Diálogos A3P Rio Grande do Sul, uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Secretaria Estadual do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. Durante todo o dia, representantes de prefeituras gaúchas, câmaras de vereadores e judiciário estarão reunidos, no auditório do Sindiserv, para discutir ações e encontrar alternativas para a implementação de uma agenda ambiental de práticas de sustentabilidade.

No evento serão formados grupos que vão dialogar sobre temas como o uso racional dos recursos naturais e bens públicos, gerenciamento de resíduos sólidos, qualidade de vida no ambiente de trabalho, sensibilização e capacitação dos servidores, contratações públicas sustentáveis e construções sustentáveis. A partir das discussões, a ideia é que os gestores municipais avaliem as prioridades de investimentos, compras e contratação de serviços, gerenciamento de resíduos sólidos e uso racional dos recursos naturais e bens públicos.

Fonte: Prefeitura Municipal
Foto: Fábio Campelo/Ass.Prefeitura




terça-feira, 16 de maio de 2017

Semana do Meio Ambiente de Caxias inicia dia 1º de junho

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) iniciou a divulgação da Semana do Meio Ambiente 2017 que tem como tema "Turismo Consciente - Na bagagem, apenas o registro”. A iniciativa busca discutir o assunto, numa alusão ao Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, proclamado pela Organização das Nações Unidas (ONU). Para isso, estão programadas diversas atividades entre os dias 01 e 7 de junho, em Caxias do Sul.
Nesta edição, uma das novidades é a descentralização do evento. Ele vai ocorrer em diferentes pontos como o Centro de Cultura Dr. Henrique Ordovás Filho, o Parque Municipal Mato Sartori, o Jardim Botânico, a Praça Dante Alighieri e o Centro Administrativo da Prefeitura de Caxias do Sul. 
A abertura oficial está marcada para o dia 1º de junho, às 18h, no Centro de Cultura Ordovás. Na ocasião ocorrerá a palestra inaugural "As possibilidades do turismo sustentável no espaço rural" com a turismóloga Juliana Jasper (Unipampa) e a Ph.D. Rosane Maria Lanzer (Universidade de Caxias do Sul).

A programação segue com diversas atividades ao longo da semana, como a exposição das fotografias vencedoras do XI Concurso Clic Ambiental, sessões temáticas de cinema, contação de histórias, passeios orientados em áreas de preservação, palestras e apresentações teatrais. No sábado (03/06) acontece o "Dia D" com uma série de atividades no Jardim Botânico. Das 8h às 17h estão programadas diversas oficinas como Dicas de Acampamento, Fotografia na Natureza, Orientação com Bússola e GPS e Plantio de Chás e Temperos. Nesse mesmo dia será possível adotar cães e gatos do Canil Municipal em mais uma edição da campanha Adote por Amor.

Foto: Fábio Campelo/Ass.Imprensa Prefeitura




terça-feira, 9 de maio de 2017

Prêmio Ação Sustentável valoriza ações ambientais de Farroupilha

A Secretaria do Meio Ambiente de Farroupilha realiza o Prêmio Ação Sustentável 2017. A iniciativa vai reconhecer o mérito de projetos de empresas, instituições de ensino, da sociedade civil organizada e dos cidadãos em geral que promovam ações voltadas à preservação ambiental no município. O objetivo é identificar, incentivar e divulgar as boas práticas de preservação ambiental.
Os interessados poderão realizar a inscrição gratuita de 5 de junho até 8 de setembro junto à secretaria de Meio Ambiente, na Rua 14 de Julho, 713, no Ceac. Podem concorrer ao troféu e ao selo Ação Sustentável os projetos e ações já concluídos no ano passado ou ainda em fase de execução, de empresas, organizações não governamentais, pessoas físicas e instituições públicas sediadas em Farroupilha. Empresa (Indústria e Comércio); Educação; Serviços / Entidades e ONGs; Turismo, Hotelaria e Gastronomia
Os vencedores das categorias Livre;; Agropecuária / Agricultura; serão conhecidos em solenidade oficial agendada para o dia 21 de setembro e poderão utilizar o selo Ação Sustentável para divulgar as iniciativas premiadas e reconhecidas pelo município.
A avaliação dos projetos inscritos será realizada por uma Comissão Julgadora formada por representantes do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam) e de secretarias municipais.
Outras informações e a ficha de inscrição podem ser obtidas por meio do telefone 3261.6932.

Fonte: Prefeitura de Farroupilha
Fonte: Divulgação



Como implantar coleta seletiva em condomínio

Em se tratando do lixo e da coleta seletiva, hoje se vê de tudo. Existem condomínios que já estão avançados nessa questão. Onde a conscientização é maior, há lixeiras coloridas, com a identificação do tipo de lixo que deve ser jogado em cada uma, avisos informando a todos sobre o sistema de coleta no prédio e outros de caráter educativo, incentivando os moradores a assumirem seu papel na gestão do lixo. Em muitos deles, após definida a forma como ocorrerá a coleta seletiva, esta é incluída no Regimento Interno, dada a relevância que tem para os condôminos.
Mas se esse não é o caso do seu condomínio, não se alarme, você ou qualquer outro morador pode propor ao síndico que implante a coleta seletiva do lixo. As medidas são simples, mas é preciso investir no diálogo e mobilizar os moradores, para que todos compreendam a importância dessa medida, cujos benefícios se estendem a toda a comunidade. 
Ações preliminares – A primeira coisa a ser feita é saber os dias que o caminhão da coleta seletiva e o catador passam na sua rua e combinar o esquema com eles. Se o condomínio tem muitos moradores, é preciso definir um local onde o lixo será acomodado até o dia do recolhimento. Nesse dia, o lixo reciclável é colocado na calçada.
Quando o condomínio é pequeno, pode ser que uma única lixeira, de tamanho doméstico, seja suficiente para acomodar o lixo reciclável. Assim, se o prédio já tem uma lixeira para o lixo orgânico (alimentos), basta instalar uma segunda, um pouco maior, para o reciclável, que é mais volumoso. O ideal é escrever na lixeira a palavra mágica: Reciclável. Alguns condomínios ainda colocam o ícone da reciclagem para facilitar a identificação visual entre um tipo de lixo e outro.

Fonte: Blog do Lixo
Foto: Divulgação



Resumindo:
1.     Leve a proposta ao síndico;
2.     Mobilize os moradores;
3.     Distribua cartazes educativos sobre a importância da coleta seletiva;
4.     Enfatize a necessidade de separar o lixo orgânico (alimento) do reciclável;
5.     Informe-se sobre quais dias o caminhão da coleta e o catador passam na sua rua;
6.     Defina onde o lixo ficará até ser recolhido e como será levado para fora do prédio;
7.     Acerte o esquema com os moradores, com o caminhão da coleta e/ou com o catador;
8.     Se for o caso, providencie a instalação da lixeira do reciclável;
9.     Identifique a lixeira do reciclável;
10.                       Insira as normas da coleta seletiva no Regimento Interno do condomínio.

sábado, 6 de maio de 2017

Hábitos antigos que conservam a natureza

 Nem toda modernidade é sinal de evolução. Assim como nem toda invenção se traduz em benefícios para a humanidade. Muitas, pelo contrário, transferem para a sociedade um custo bastante alto, a exemplo de produtos que dependem de uma forte demanda de recursos naturais para serem produzidos.

Outras invenções, numa escala ainda mais comprometedora, diz respeito a produtos de difícil destinação final e nem sempre possíveis de passarem por um processo de reciclagem depois de cumpridos seus ciclos de vida.
Reciclagem complicada – Nos últimos tempos, o caso mais emblemático parece ser o das cápsulas de café, que a bem da comodidade alegada por seus usuários, trouxe um problemão para o meio ambiente.
complexidade de se reciclar as cápsulas de café, fabricadas com materiais difíceis de serem fracionados e do alto custo da reciclagem desse tipo de produto tem como resultado as quase 8 mil toneladas de cápsulas consumidas anualmente no Brasil vão parar nos aterros sanitários, que, como todos sabem, são poucos e estão aquém de atender as necessidades dos municípios, além de estarem abarrotados de material.
Produtos vistos por inteiro – Considerando que a natureza é a fonte de matéria-prima que dá origem aos produtos, cada vez mais será necessário consumir menos ou, no mínimo, escolher produtos que causem menor impacto ao ambiente. Essa é a razão que está levando muitas pessoas a adotarem hábitos antigos e prazerosos, como coar o café em pano ou em filtros de papel que se decompõem facilmente, por serem biodegradáveis. Em todo o mundo, há um séquito de gente buscando adotar práticas mais sustentáveis. Mas para aqueles que optam pelo meio termo, algumas cafeterias estão oferecendo o coador de pano individual.
Ao se indagar sobre um produto, é possível vê-lo em toda a sua extensão, no todo e nas partes, na origem e na ponta, quando ele está novo em folha e, mais tarde, quando seu ciclo de vida se encerra e ele torna-se lixo.

Fonte: Blog do lixo
Foto: Divulgação


segunda-feira, 1 de maio de 2017

Farroupilha realiza Workshop Gestão Pública para Cidades Lixo Zero

Farroupilha está trabalhando para se tornar uma cidade lixo zero. E um dos instrumentos para atingir esse objetivo é proporcionar a realização do Workshop Gestão Pública para Cidades Lixo Zero. O evento será realizado no dia 11 de maio, das 8h30 às 18h, no Salão Nobre da Prefeitura.
O Workshop Gestão Pública para Cidades Lixo Zero visa proporcionar a discussão, reflexão, proposição e aprendizagem prática sobre a gestão de resíduos sólidos por meio do conceito LIXO ZERO. Atendendo às exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos e dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), o workshop irá preparar os participantes, através de uma gestão inovadora, para aplicar as melhores práticas, levando à diminuição dos custos com a gestão de resíduos (coleta, logística, destinação), gerando emprego e renda, atraindo empreendedores e investidores, incrementando a arrecadação de impostos, com envolvimento e participação da população.
O objetivo do evento é qualificar gestores públicos e demais agentes interessados para a adoção do conceito e princípios do Lixo Zero, preparando-os para desenvolver soluções inovadoras e sustentáveis na gestão dos resíduos sólidos municipais.
Fonte: Prefeitura Municipal
Foto: Divulgação



Organizar o lixo é um ato de amor

É comum ouvir a expressão de que “o lixo é riqueza”. A cada dia, essa afirmativa se confirma mais e mais. Hoje, já se sabe que muito daquilo que é jogado fora, tem como ser reaproveitado, transformado ou reciclado. Até mesmo os restos de comida são valorosos, pois podem ser processados e virarem adubo.
Para compreender melhor como as coisas acontecem em torno do lixo, é necessário distinguir o lixo orgânico do inorgânico. O primeiro, também denominado “lixo úmido”, consiste nos resíduos de origem vegetal ou animal (comida em geral). É o lixo que gera mau cheiro, desenvolve bactérias e fungos, atrai insetos.
Mas, se processado adequadamente, o lixo orgânico pode se transformar em adubo natural, de ótima qualidade; muitos agricultores lançam mão desse recurso. No caso de residência, existem as composteiras, que se encaixam perfeitamente debaixo da pia e não exalam mau cheiro no ambiente. Elas são encontradas no mercado em vários modelos, tamanhos e preços.
O lixo inorgânico, também identificado como “lixo seco”, se refere aos materiais produzidos pelo homem, como plásticos, metais, alumínios e vidro. A sociedade moderna produz um volume descomunal desse tipo de lixo, por dois fatores preponderantes: o consumo excessivo e a cultura do descartável, em que os produtos se tornam obsoletos rapidamente. No entanto, muito dos resíduos encontrados nas lixeiras são passíveis de reciclagem ou mesmo de reaproveitamento.
Quando descartado de forma inadequada no ambiente, o lixo inorgânico traz prejuízos para toda a população e o planeta. Além do desperdício, os materiais que caracterizam esse tipo de lixo demoram anos para se decompor naturalmente. É o caso de embalagens plásticas, que podem chegar a até 500 anos, e do vidro, cujo tempo é indeterminado, podendo levar milhares de anos para se decompor. Materiais eletrônicos, como pilhas e baterias, oferecem perigo se descartados aleatoriamente.
Separação prolonga vida útil do lixo – Essas razões, fazem com que a organização do lixo seja tão importante. A regra número um é separar o lixo conforme suas características, se úmido, seco, de longa durabilidade ou mesmo aquele possível de ser reciclado.
Há, também, uma questão social decorrente da organização do lixo. É o fato dela desencadear o processo que permite a inclusão dos catadores de materiais recicláveis. O lixo ainda é a única fonte de receita de muitas famílias. Separá-lo corretamente é uma forma de ajudar os catadores no trabalho da coleta.
De outro lado, deve-se considerar que a atuação do catador é essencial para o sucesso da destinação ambientalmente adequada dos resíduos sólidos. Por meio do trabalho deles, inúmeros materiais que teriam os aterros sanitários como destino são reaproveitados ou comercializados, e muitos voltam à cadeia produtiva como matéria-prima na fabricação de novos produtos.

Regras básicas:
1.     Separar o lixo orgânico (úmido), do inorgânico (seco).
2.     Ensacar o lixo de modo que fique fácil identificá-lo entre o úmido e o seco.
3.     Separar o vidro dos demais resíduos; juntar jornais, papelão e embalagens no mesmo saco.
4.     Dobrar as embalagens para economizar sacos de lixo e espaço nas lixeiras.
5.     Os materiais possíveis de serem reaproveitados ou mesmo reciclados devem estar vazios e limpos. É importante lembrar que lá na ponta da cadeia produtiva está uma pessoa, o catador.


 Fonte: E-cycle
Foto: Divulgação

terça-feira, 25 de abril de 2017

Saiba a diferença entre reciclagem e reutilização

Basicamente, a reciclagem é um processo em que ocorre a transformação de um material que não seria mais usado em uma matéria-prima utilizável novamente, mas é importante não confundir a reciclagem com reutilização. Nesta não há transformação do material, ele é simplesmente é utilizado novamente. Enquanto na reciclagem, ocorre a mudança em seu estado físico, químico ou biológico para que o material possa voltar a ser utilizado.
Exemplificando: quando tomamos água daquela garrafa de vidro que antes era utilizada no mercado para a venda de suco de uva, estamos empregando um processo de reutilização, pois a garrafa que antes armazenava o suco agora está sendo usada para gelar água - a mesma garrafa, sem modificações. Por outro lado, quando utilizamos aquela camiseta feita de garrafa PET, estamos fazendo uso de um processo de reciclagem, pois as garrafas PET tiveram que ser transformadas em uma matéria-prima que deu origem a algo diferente: a camiseta. 
Fonte: www.e-cycle.com.br
Foto: Divulgação